Mais um ano, menos um ano


Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios. Salmo 90:12

Hoje é meu aniversário. Há 51 anos eu nascia pela primeira vez, mas foi só em 1978 que nasci pela segunda vez. Então, se já passei de meio século de vida natural, ainda sou um jovem na vida espiritual, a que realmente importa e vai durar eternamente.

A matemática é simples: quem nascer só uma vez pode esperar por duas mortes, a natural e a espiritual. Quem nascer duas vezes só enfrentará uma morte — a natural — ou talvez nenhuma, se Jesus voltar antes. Portanto, a contagem dos anos e dias de quem foi salvo por Jesus é crescente para sua vida natural, cada vez mais longe do passado. Mas é uma contagem regressiva no que diz respeito à sua vida espiritual, cada vez mais perto de sua esperança futura. Por isso o apóstolo disse:
Porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. Romanos 13:11

Se cheguei até aqui — quero dizer, vivo, natural ou espiritualmente — foi só pela graça e misericórdia de Deus. Nos últimos 51 anos meu coração bateu aproximadamente 2 bilhões de vezes e respirei cerca de 400 milhões de vezes. Devo a Deus isso e tremo quando ouço o que ouvi de um comentarista de rádio esta semana, ao comentar os diferentes objetos de culto de diferentes religiões. Ele disse: "Eu, nem a Deus adoro".

O Pintor não se esqueceu de meu aniversário e enviou flores. Um quadro de flores. Na verdade ele estava lá, bem debaixo de meu nariz — no jardim de meu prédio — mas eu ainda não tinha percebido seus detalhes.

É que a gente costuma ficar olhando para o horizonte esperando que o futuro nos traga algo que satisfaça e nem nos damos conta de que o presente tem presentes que nem desembrulhamos ainda. Olhe ao seu redor e procure o presente que está debaixo de seu nariz. Você terá mais um motivo para agradecer a Deus.

Talvez sejam coisas pequenas, como seu batimento cardíaco, sua respiração ou um jardim bem debaixo de seu nariz.

Postagens populares