A paleta do pintor



E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores... Então tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue. Gn 37:3-31


Eu estava torcendo para ver a paleta onde o Pintor mistura suas cores e ontem ele mostrou. Todas as tintas estão lá e a foto mente. No real o quadro é muito mais bonito. Você conhece alguém que não se impressiona quando o Pintor derrama sua paleta no céu? Sabe quando ele fez isso a primeira vez?

Faz tempo. Depois de um dilúvio universal o Pintor colocou seu arco de cores no céu como sinal de aliança. Não iria destruir a terra com água, como fez uma vez. Mas parece que não adiantou. Não mudamos nada desde a raça antediluviana híbrida de homens e anjos. "Estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama". Gn 6:4

Acho que é isso que continuamos buscando. Valentia, fama, com algo de angelical. Mas vamos voltar ao Pintor em minha janela. Muito do que você vê não foi pintado assim. Eu e você, por exemplo. Apesar de todas as nossas cores, somos uma caricatura do que o Pintor pretende fazer com seu novo quadro de nós. Quer passar a limpo. Você está disposto a ser passado a limpo?

As gotículas de chuva na atmosfera revelam as cores da paleta do Pintor. Nada veríamos se não fosse por essas diminutas lentes que decompõem a luz. Mas é engraçado como corremos para a luz do sol e fugimos da luz do Pintor como insetos pegos de surpresa pela pedra que foi levantada. Não deveria ser assim, mas é.

Assim que vi as cores da paleta do Pintor, lembrei-me do que tinha lido dia desses sobre a túnica de José. Diz que era de muitas cores. Seriam tantas? Não sei, mas José é uma figura interessante para se conhecer a história. Filho de Jacó, codinome Israel, era invejado por seus irmãos, embora quisesse o melhor para eles.

Um dia ele passou poucas e boas nas mãos de seus irmãos, os quais foi procurar obedecendo a uma ordem de seu pai. Foi vendido por algumas moedas, dado por morto, lançado numa cova... não necessariamente nesta ordem.

Depois de um tempo numa masmorra no Egito, acabou salvando o país da fome, teve uma esposa gentia e se transformou no homem forte do Egito para, finalmente, salvar da morte seus atônitos irmãos.

A história lembra alguém? Lembra. Alguém cuja túnica de muitas cores tem sido causa de contradição nos últimos dois mil anos. Ele ainda irá voltar, mas sua túnica então chamará a atenção pela cor estranha que trará. Será sangue aquelas manchas?

Postagens populares