Pintando nas brechas


O homem respondeu, e disse-lhes: Nisto, pois, está a maravilha, que vós não saibais de onde ele é, e contudo me abrisse os olhos. João 9:30


Um amigo deixou um comentário dizendo que este blog lembrou o poema de Cecília Meireles, "A arte de ser feliz". Fui lá ler e encontrei isso:

"Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim."

Só tenho que concordar, principalmente quando olho pela janela do quarto do fundo. Não dá para ver muita coisa lá, mas o Pintor continua pintando, infiltrando sua arte até entre os feios paredões que os homens fizeram. Lá está, só preciso olhar.

É impossível que você não consiga encontrar o pincel do Pintor onde quer que olhe. Por mais paredões que as circunstâncias construam ao nosso redor, ele continua pintando uma brecha, uma forma de escape. Ele tem o controle de tudo, até dos elementos que servem de tela para suas obras.

Da próxima vez que olhar pela janela de sua vida e enxergar um paredão, procure pela fresta onde o Pintor trabalha. Às vezes não é tão evidente, mas ele está lá, pintando uma senda para seu olhar ser elevado ao céu.

Uma característica do ser humano que o distingue dos quadrúpedes é poder olhar facilmente para o céu. Quadrúpedes só olham para a terra.

Postagens populares