Qual a cor das nuvens?



“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9

Outro dia apresentei a você o Pintor em minha janela. Isso mesmo, aquele que todos os dias produz uma nova obra de arte a partir de um único motivo: a paisagem e o céu emoldurados por minha janela. Você já deve ter percebido que não me canso de falar desse Pintor e de sua habilidade, não é mesmo?

Pois hoje resolvi dar mais uma olhadinha em seu trabalho. Ele estava lá, pintando outra vez. Nunca consigo ver seu trabalho acabado, mas tampouco o vejo inacabado. É incrível que alguém consiga pintar assim — a cada nova pincelada ele é capaz de deixar a perfeição ainda mais perfeita, os traços mais bem definidos, e as cores mais coloridas.

Ao contrário do ouro e anil que usou no quadro de alguns dias atrás, hoje sua paleta é azul suave. Até me sinto um pouco azul assim — calmo, sereno, tranquilo. Azul claro. Mas há nuvens brancas pairando no alto da tela. Brancas? Você já viu uma nuvem branca? Não existem nuvens brancas. Descobri que o Pintor nunca as pinta assim.

Lembrei-me de um diálogo que acontece no filme “Moça com brinco de pérola”, uma pintura cinematográfica baseada em uma novela de Tracy Chevalier. O tema do filme é o quadro de mesmo nome, pintado por Johannes Vermeer, por volta de 1660, e considerado a “Mona Lisa holandesa”.

Recentemente um inventor texano recriou as técnicas fotográficas utilizadas por aquele Pintor, sugerindo que ele transformava seu estúdio em uma câmara escura para pintar, como se estivesse dentro de uma câmera fotográfica gigante. A imagem refletida sobre a tela recebia então a tinta nas cores e proporções do modelo real.

Mas o que chamou minha atenção no filme foi a percepção da personagem que servia de modelo com brinco de pérola, cujo retrato estava sendo pintado. No enredo ela percebe que existe muito mais que uma mera cor branca em uma nuvem. É verdade. Para você ter uma ideia, apenas na nuvem “branca” de uma foto digital que tirei da paisagem em minha janela, meu programa de edição de imagem detectou quase vinte mil cores. Mais da metade das quase quarenta mil cores registradas na foto inteira está numa nuvem que qualquer um diria que é branca!

Em cada nuvem de minha vida, e da sua também, existem muitas cores. É preciso um olhar atento para percebê-las e se deleitar com elas. Devido à baixa resolução de nosso pensamento, aos limites de nossa percepção, e ao embotamento de nossa visão, nem sempre percebemos aquilo que está fora da faixa mais popular do espectro. Por isso é preciso colocar óculos especiais para enxergar; é preciso olhar através das lentes do Pintor celestial, para descobrir que até mesmo na monótona nuvem branca de nossa vida existe uma profusão de cores maior do que somos capazes de perceber ou contar. Cores “que o olho não viu” (1 Coríntios 2:9).


Um Pintor em minha janela - Minha vida morando em uma galeria de arte - Mario Persona
Um dia percebi que havia Um Pintor em minha janela, colocando sempre ali um novo quadro e renovando sua pintura a cada manhã, tarde ou noite. Um dia de cada vez ele ia mostrando a sua arte e talento para enfeitar o céu. Neste livro reúno meus pensamentos sobre cada quadro que via em minha janela. Um dia de cada vez, um quadro de cada vez. É no mesmo compasso que ele cuida de mim, de dia em dia, e é assim também que ele quer cuidar de você.
Livro: ClubedeAutores.com.br

e-Book: Smashwords.com
AcervoDigitalCristao.com.br

Uma galeria de arte para chamar de minha


https://youtu.be/B_B5IeBnF08

Uma galeria de arte para chamar de minha


“Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento as obras de suas mãos... por toda a Terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras até aos confins do mundo.” Salmos 19:1 e 4
Um dia descobri que havia um Pintor que todos os dias expunha em minha janela uma obra de seu infinito acervo; um quadro novo e pronto só para me surpreender. O curioso é que eu já tinha olhado tantas vezes pela mesma janela e nunca tinha reparado na galeria que existia ali. Já fazia tempo que conhecia esse Pintor, e conhecia algumas de suas obras de arte aqui, ali e acolá, mas nunca tinha prestado atenção na galeria particular que havia em minha janela.
Hoje, por exemplo, no quadro que ele pendurou em minha janela vejo a silhueta negra dos prédios de minha cidade recortando um céu de amanhecer num dégradé que vai do azul profundo ao amarelo alaranjado. Daqui a pouco o sol se levantará com todo o seu fulgor e a pintura será outra, desaparecendo os pontilhados brancos de luz nas janelas dos apartamentos onde habitam pessoas que começam a acordar. Será que elas irão reparar no Pintor em suas janelas ou este privilégio neste momento é só meu?
O Pintor em minha janela é extremamente criativo e nunca vi dois quadros iguais. Suas pinturas são dinâmicas — você olha e enxerga uma coisa; olha de novo e vê outra coisa. É incrível a capacidade que ele tem de combinar as cores, de criar novos matizes, de surpreender com a graça e leveza de seus pincéis.
Às vezes ele usa o pincel de bondade, outra vez prefere o de misericórdia com toques de graça, mas sempre tem à mão seu pincel de disciplina para as cores mais fortes e pinceladas mais vigorosas. Como acontece quando vemos um artista pintando, a princípio o quadro não parece fazer muito sentido, mas é só quando a obra é completada que percebemos que cada pincelada tinha sua função. Artistas medíocres usam um mesmo pincel e uma mesma pincelada para tudo. O Pintor em minha janela não é assim.
É realmente um privilégio ter um Pintor assim em minha janela, com quem também converso todas as manhãs. Ele também fala comigo, como sempre falou com todas as pessoas, mas nem todas estão atentas ao que ele quer dizer. No início ele falava apenas por meio de sua Criação, pois... “os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento as obras de suas mãos... por toda a Terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras até aos confins do mundo.” (Salmos 19:1, 4). Mas depois de conhecê-lo melhor aprendi a ouvir sua voz vinda diretamente de sua Palavra, a Bíblia.
Alguma vez você viu um quadro do Pintor em sua janela? Dê uma olhada. Se ele tiver colocado um quadro lá converse com ele também. O que dizer? Ora, diga que gostou da pintura e quer conhecê-lo pessoalmente. Eu o conheci quando minha vida era uma tela nem um pouco branca, mas preta e suja. Foi ele quem a limpou e preparou para pintar as muitas cenas de minha vida, daqui à eternidade. Hoje consigo enxergar além da tela desta vida para o cenário que ele reservou para mim no céu. É lá que mora o Pintor em minha janela. É lá que eu também vou morar.


Um Pintor em minha janela - Minha vida morando em uma galeria de arte - Mario Persona
Um dia percebi que havia Um Pintor em minha janela, colocando sempre ali um novo quadro e renovando sua pintura a cada manhã, tarde ou noite. Um dia de cada vez ele ia mostrando a sua arte e talento para enfeitar o céu. Neste livro reúno meus pensamentos sobre cada quadro que via em minha janela. Um dia de cada vez, um quadro de cada vez. É no mesmo compasso que ele cuida de mim, de dia em dia, e é assim também que ele quer cuidar de você.
Livro: ClubedeAutores.com.br

e-Book: Smashwords.com
AcervoDigitalCristao.com.br

Uma janela para o passado





Uma janela para o passado


“Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma; atá-las-eis por sinal na vossa mão, e elas vos serão por frontais entre os vossos olhos; e ensiná-las-eis a vossos filhos, falando delas sentados em vossas casas e andando pelo caminho, ao deitar-vos e ao levantar-vos”. Deuteronômio 11:18-19
Ontem foi “Dia dos Pais” e aparentemente Deus queria que eu olhasse através da janela do tempo para ele pintar um quadro de meu passado, exclusivamente para mim. Enquanto arrumava a estante, minha atenção foi atraída para a velha Bíblia que pertencia à minha mãe. Não que a edição fosse tão antiga assim. Era uma Bíblia edição “Ave Maria” de 1981, mas aparentava ser muito mais velha de tanto ter sido folheada, lida e relida por minha mãe e meu pai.
Eles tinham outras Bíblias, mas as péssimas condições desta em particular revelam ter sido a preferida de suas leituras. Com o tempo a capa verde-musgo se soltou, a costura afrouxou e as folhas começaram a se despregar. Um vento mais forte teria misturado as folhas soltas, não fosse meu pai sair em seu socorro. Ele gostava de consertar as coisas e decidiu reparar a Bíblia com a única coisa que tinha à mão: fita isolante! E você vai me dizer que uma Bíblia remendada com fita isolante não é bonita? Esta é.



Foi entre as páginas da velha e desgastada Bíblia que encontrei um cartãozinho. Como foi que nunca reparei nele? Provavelmente porque nunca tinha folheado a Bíblia que estava entre as coisas que minha mãe deixou quando se mudou para o céu em 2005. 




Era um daqueles cartões vendidos em livrarias católicas, e trazia a figura colorida de um menino Jesus segurando um cajado e pastoreando ovelhinhas. No verso, escrito a lápis e com letras gordas e tremidas, a mensagem:

Querido papai: Deus te faça bastante feliz e te dê boa saúde.
Mario José
9 de agosto de 1959
O cartãozinho fora dado por mim a meu pai quando eu tinha quatro anos e ainda não sabia ler e nem escrever. Naquele tempo a alfabetização começava aos sete anos e a letra era de minha irmã mais velha, que tinha oito anos.



A mensagem do cartão era para o “Dia dos Pais” e, como já disse, ontem foi “Dia dos Pais”. Chorão como sou, quase acrescentei algumas manchinhas às já manchadas páginas da Bíblia e ao amarelado cartão.

Eu não poderia pedir um presente melhor do que este por ocasião deste meu “Dia dos Pais” quando já sou “Pai 2.0” — pai e avô. O meu Deus é um Deus que se importa com as pequenas coisas, por isso me levou a abrir uma janela no tempo e encheu meu coração de boas recordações. Não, não foi coincidência, foi apenas mais um quadro que o Pintor pintou na janela de minha existência, dentre os muitos que ainda iria pintar.


Um Pintor em minha janela - Minha vida morando em uma galeria de arte - Mario Persona
Um dia percebi que havia Um Pintor em minha janela, colocando sempre ali um novo quadro e renovando sua pintura a cada manhã, tarde ou noite. Um dia de cada vez ele ia mostrando a sua arte e talento para enfeitar o céu. Neste livro reúno meus pensamentos sobre cada quadro que via em minha janela. Um dia de cada vez, um quadro de cada vez. É no mesmo compasso que ele cuida de mim, de dia em dia, e é assim também que ele quer cuidar de você.
Livro: ClubedeAutores.com.br

e-Book: Smashwords.com
AcervoDigitalCristao.com.br

Um Pintor em minha janela - Apresentacao



https://youtu.be/SLXEUD32bwg

Apresentação


Acho que todos nós temos um momento da vida em que nos sentimos massacrados por acontecimentos que não esperávamos e jamais iríamos desejar. Passei por algo assim há alguns anos. Felizmente tive Alguém para me amparar como jamais pensara ser possível: o próprio Senhor, meu Salvador. Um dia Jó precisou dizer que só conhecia a Deus de ouvir falar, mas foi na dor que conheceu de fato Aquele que esteve o tempo todo trabalhando nos bastidores de sua vida. “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem.” (Jó 42:5).

Eu já tive o meu ‘momento Jó’ e acredito que você já teve o seu. Nossa reação natural é lutar contra as circunstâncias que o Senhor permitiu, sem perceber que isso é o mesmo que lutar contra Deus, como fez Jacó e saiu manco da experiência. Então aprendemos que é difícil não sair coxeando de uma experiência assim, mas também que é possível conhecer mais da graça e misericórdia do Senhor nessas horas mais escuras de nossa existência. C. S. Lewis escreveu: “Deus nos sussurra em nossos prazeres, nos fala em nossa consciência, mas grita em nossa dor; esta é seu megafone para despertar um mundo surdo.”.

Naquela época, tomado por angústias e incertezas do que poderia vir a seguir, criei o estranho o hábito de me perder em pensamentos olhando pela janela de meu apartamento, como se estivesse esperando por algo ou alguém. Foi assim que descobri que quando mais precisamos do Senhor, ele está tão disponível quanto o sol para aquecer nossos corações. O problema é que, quando as coisas não saem conforme esperamos, viramos as costas para a Luz e perdemos muito do espetáculo que ele quer nos mostrar enquanto pinta quadros na janela de nossa vida diária.

Neste livro quero mostrar a você algumas obras de arte que esse Pintor celestial colocou em minha janela naquele período de minha vida. Sei que vai gostar. As pinturas não são minhas, são dele. Originalmente publiquei estes pensamentos em um blog que trazia também fotos do que via naquele momento em minha janela.

As fotos foram feitas com uma antiga câmera digital com uma resolução baixa demais para serem aproveitadas em formato impresso. Por isso na leitura deste livro vou contar com sua imaginação para enxergar cada quadro que descrevo em minha janela.

Lembro-me de um livro que li, chamado “Bird by bird”“Um pássaro por vez”. Para o título a autora se inspirou em algo que seu pai dissera a seu irmão menor, quando eram crianças. O garoto precisava entregar uma redação sobre pássaros e, apesar dos muitos livros que tinha sobre a mesa para pesquisar, sua redação não saía de uma página em branco. O garoto estava angustiado, pois o trabalho era para o dia seguinte.

O pai, que era escritor, percebeu o problema do filho e, aproximando-se dele, sugeriu:

Um pássaro de cada vez, filho; escreva sobre um pássaro de cada vez. 

Foi assim que percebi o Pintor colocando um novo quadro em minha janela e renovando sua pintura a cada manhã, tarde ou noite. Um dia de cada vez ele ia mostrando a sua arte e talento para enfeitar o céu, e eu fotografava e depois escrevia alguns pensamentos sobre o quadro que via em minha janela. Um dia de cada vez, um quadro de cada vez. É no mesmo compasso que ele cuida de mim, de dia em dia, e é assim também que ele quer cuidar de você.

Mario Persona


“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia.” 2 Coríntios 4:16



Um Pintor em minha janela - Minha vida morando em uma galeria de arte - Mario Persona
Um dia percebi que havia Um Pintor em minha janela, colocando sempre ali um novo quadro e renovando sua pintura a cada manhã, tarde ou noite. Um dia de cada vez ele ia mostrando a sua arte e talento para enfeitar o céu. Neste livro reúno meus pensamentos sobre cada quadro que via em minha janela. Um dia de cada vez, um quadro de cada vez. É no mesmo compasso que ele cuida de mim, de dia em dia, e é assim também que ele quer cuidar de você.
Livro: ClubedeAutores.com.br

e-Book: Smashwords.com
AcervoDigitalCristao.com.br

Postagens populares