Ele descera como chuva


O coração do sábio discernirá o tempo e o juízo. Eclesiastes 8:5


A paisagem do quadro do Pintor em minha janela foi escondida por uma camada densa de chuva. Quase não dava para enxergar o horizonte e os prédios vizinhos ficaram imersos na cortina de água que despencava das nuvens. Na calçada lá embaixo algumas pessoas corriam em busca do abrigo que não tinham para a chuva que não previam.

Às vezes é fácil prever a chuva e se preparar, mas nem sempre acontece assim. As notícias da semana falam de mais de 1800 pessoas soterradas nas Filipinas por uma enxurrada de lama que cobriu uma cidade sem qualquer aviso. No Brasil mais de 30 mil pessoas estão desabrigadas por causa das enchentes no Acre. Algumas sabiam que iria acontecer, outras não.

A natureza é imprevisível e pode ser extremamente destrutiva. Mas existe outra enxurrada, de origem maligna, com um poder ainda maior de destruição. É só ler as outras páginas do jornal, aquelas dos homens-bomba, dos bebês mortos, dos crimes de colarinhos de todas as cores.

A humanidade vai de mal a pior. Isso já aconteceu antes e o mundo foi varrido pelas águas do dilúvio para um recomeço. Mas agora não haverá recomeço que possa ser deixado para depois. A hora é agora de entrar na Arca que Deus oferece: Jesus. Para aqueles que crêem e esperam por Ele, a chuva toma um aspecto diferente, nada ameaçador. "Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra." Salmos 72:6

Postagens populares