Liberdade


E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. João 8:32, 34

Fala-se tanto em liberdade hoje. Mas repare no quadro. Muros, cercas eletrificadas, grades na janela, câmeras de vigilância, seguranças armados, alarmes. Não é neste cenário que vivemos e não é assim que habitamos? Liberdade? Onde?

É engraçado como nos acostumamos rapidamente à falta de liberdade e a todos esses dispositivos de segurança. Aprendemos a viver trancados e nem nos lembramos de como era a vida sem grades nas janelas ou quando ninguém trancava o carro e alarme era um som desconhecido. Ficamos insensíveis como é insensível o mergulhador a toneladas de água sobre si. Ele está imerso nela, por isso não sente.

A Bíblia fala de liberdade, mas não da liberdade mais evidente que buscamos, de expressão, de ir e vir ou de nos vermos livres de ladrões. A Bíblia fala da libertação do pecado, que escraviza, mas cuja escravidão não é percebida justamente por vivermos imersos nele.
Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo. 2 Pedro 2:19
Felizmente há um escape que é pelo conhecimento da Verdade. Mas o que é a Verdade? Pilatos fez a mesma pergunta e depois se virou de costas para Jesus. Deu as costas Àquele que disse: "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" João 14:6.

Você crê que Jesus é a Verdade e que ninguém vai ao Pai senão por Ele? Se crê realmente em Jesus, crê em tudo o que Ele é e falou. Então você conhece a verdadeira liberdade dos filhos de Deus.

Mais um ano, menos um ano


Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios. Salmo 90:12

Hoje é meu aniversário. Há 51 anos eu nascia pela primeira vez, mas foi só em 1978 que nasci pela segunda vez. Então, se já passei de meio século de vida natural, ainda sou um jovem na vida espiritual, a que realmente importa e vai durar eternamente.

A matemática é simples: quem nascer só uma vez pode esperar por duas mortes, a natural e a espiritual. Quem nascer duas vezes só enfrentará uma morte — a natural — ou talvez nenhuma, se Jesus voltar antes. Portanto, a contagem dos anos e dias de quem foi salvo por Jesus é crescente para sua vida natural, cada vez mais longe do passado. Mas é uma contagem regressiva no que diz respeito à sua vida espiritual, cada vez mais perto de sua esperança futura. Por isso o apóstolo disse:
Porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. Romanos 13:11

Se cheguei até aqui — quero dizer, vivo, natural ou espiritualmente — foi só pela graça e misericórdia de Deus. Nos últimos 51 anos meu coração bateu aproximadamente 2 bilhões de vezes e respirei cerca de 400 milhões de vezes. Devo a Deus isso e tremo quando ouço o que ouvi de um comentarista de rádio esta semana, ao comentar os diferentes objetos de culto de diferentes religiões. Ele disse: "Eu, nem a Deus adoro".

O Pintor não se esqueceu de meu aniversário e enviou flores. Um quadro de flores. Na verdade ele estava lá, bem debaixo de meu nariz — no jardim de meu prédio — mas eu ainda não tinha percebido seus detalhes.

É que a gente costuma ficar olhando para o horizonte esperando que o futuro nos traga algo que satisfaça e nem nos damos conta de que o presente tem presentes que nem desembrulhamos ainda. Olhe ao seu redor e procure o presente que está debaixo de seu nariz. Você terá mais um motivo para agradecer a Deus.

Talvez sejam coisas pequenas, como seu batimento cardíaco, sua respiração ou um jardim bem debaixo de seu nariz.

A nuvem



Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui. Êxodo 33:15


Ontem esta nuvem pairava, majestosa, sobre o prédio onde moro. O Pintor em minha janela colocou a nuvem em um lugar onde eu não podia ver, mas podia fotografar com a câmera no braço esticado para fora. Logo me veio uma lembrança de uma outra nuvem.

Quando os israelitas peregrinavam pelo deserto a caminho da terra prometida, uma nuvem os acompanhava. Ou melhor, eles acompanhavam uma nuvem. Deus os havia tirado do Egito, da escravidão, e providenciara para que sobrevivessem à jornada de 11 dias pelo deserto, porém a jornada levou 40 anos em razão da incredulidade daquela geração.

Uma das providências de Deus foi colocar uma nuvem sobre o tabernáculo — a tenda onde Deus era adorado — como sinal de Sua presença ali. O povo vivia em um deserto abrasador literalmente no refrigério da sombra proporcionada por Deus. Eles só levantavam acampamento quando a nuvem se levantava e começava a se mover, e só paravam a viagem quando ela parava. À noite a nuvem era substituída por uma coluna de fogo.
"Mas sempre que a nuvem se alçava de sobre a tenda, os filhos de Israel partiam; e no lugar onde a nuvem parava, ali os filhos de Israel se acampavam." Números 9:17

Pensei em minha vida. Eu também fui tirado da escravidão do pecado e da perspectiva da morte e do juízo com a promessa de uma Canaã celestial. Porém, entre uma coisa e outra existe um deserto: este mundo. É assim que me sinto, é assim que cada cristão se sente, vivendo em um imenso deserto onde tudo conspira contra sua fé e seu Salvador. Porém há em todo o caminho a presença da nuvem, de Deus, dando refrigério e direção.

Meus problemas começam quando deixo de olhar para a nuvem e decido levantar acampamento ou agir de acordo com minha própria vontade. Meus problemas terminam quando me rendo à direção dada por Deus e não saio do lugar se Ele não indicar, ou não paro se Ele não parar.

Você segue a nuvem da presença de Deus ou está imerso na escuridão ou perdido na névoa das ilusões passageiras?

Ele descera como chuva


O coração do sábio discernirá o tempo e o juízo. Eclesiastes 8:5


A paisagem do quadro do Pintor em minha janela foi escondida por uma camada densa de chuva. Quase não dava para enxergar o horizonte e os prédios vizinhos ficaram imersos na cortina de água que despencava das nuvens. Na calçada lá embaixo algumas pessoas corriam em busca do abrigo que não tinham para a chuva que não previam.

Às vezes é fácil prever a chuva e se preparar, mas nem sempre acontece assim. As notícias da semana falam de mais de 1800 pessoas soterradas nas Filipinas por uma enxurrada de lama que cobriu uma cidade sem qualquer aviso. No Brasil mais de 30 mil pessoas estão desabrigadas por causa das enchentes no Acre. Algumas sabiam que iria acontecer, outras não.

A natureza é imprevisível e pode ser extremamente destrutiva. Mas existe outra enxurrada, de origem maligna, com um poder ainda maior de destruição. É só ler as outras páginas do jornal, aquelas dos homens-bomba, dos bebês mortos, dos crimes de colarinhos de todas as cores.

A humanidade vai de mal a pior. Isso já aconteceu antes e o mundo foi varrido pelas águas do dilúvio para um recomeço. Mas agora não haverá recomeço que possa ser deixado para depois. A hora é agora de entrar na Arca que Deus oferece: Jesus. Para aqueles que crêem e esperam por Ele, a chuva toma um aspecto diferente, nada ameaçador. "Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra." Salmos 72:6

Sao meus!



Agora, pois, os teus dois filhos, que te nasceram na terra do Egito, antes que eu viesse a ti no Egito, são meus: Efraim e Manassés serão meus, como Rúben e Simeão. Gênesis 48:5


As nuvens no quadro que o Pintor em minha janela deixou são assustadoras. Carregadas, sisudas, têm um ar ameaçador. O que trarão? Ventos? Tempestades? Essa é a incógnita de quem olha para o céu e só vê um Deus carregado, sisudo e ameaçador. Você enxerga assim?

Apesar do ditado popular dizer que todos são filhos de Deus, o evangelho de João começa dizendo que filhos são apenas aqueles que recebem a Cristo. Os demais são criaturas de Deus. Essa mudança de posição — de criaturas para filhos — acontece quando alguém é adotado por Deus por intermédio de Cristo.

Estava lendo a história de José, filho de Jacó, e é incrível as semelhanças de sua vida com a vida de Jesus. José era o filho preferido de seu pai, se distinguia dos demais por uma túnica de muitas cores, foi rejeitado por seus irmãos, vendido por algumas moedas, lançado numa cova para morrer, mas acabou sendo elevado a vice-rei o Egito e salvou da fome e da morte não apenas seus irmãos como toda a família.

Enquanto estava no Egito, José desposou uma noiva gentia, que não pertencia a seu povo, e teve dois filhos, Manassés e Efraim. Estes filhos acabaram sendo adotados por Jacó e passaram a ter os mesmos privilégios dos outros filhos do patriarca. Do mesmo modo como cada cristão hoje, membro do corpo de Cristo que é também representada por uma noiva tomada dentre os gentios, é adotado como filho por Deus. Jacó diz daqueles seus novos filhos: "São meus!". Deus diz o mesmo dos que agora são Seus filhos.

E uma vez filho, o Novo Testamento diz que o Espírito Santo que vem habitar naquele que crê e permite que este chame a Deus de "Aba". A tradução não é apenas "Pai", mas "Papai". Você acha que Aquele, que hoje diz aos que crêem, "São meus!", e pode ser agora chamado de "Papai" é um Deus carrancudo como muitos O vêem? De jeito nenhum!

Luz nas casas



Mas todos os filhos de Israel tinham luz em suas habitações. Êxodo 10:23


Quando olhei pela janela, pensei que o Pintor não havia deixado um quadro para mim. Era madrugada e, além da lâmpada no poste de minha rua, as únicas luzes que podia ver eram nas janelas dos madrugadores. Foi quando percebi.

O quadro era exatamente aquele, a noite, a ausência de luz. Uma das grandes pragas derramadas sobre o Egito nos tempos retratados pelo livro de Êxodo era justamente a da escuridão. Trevas cobriram a terra e as pessoas não conseguiam enxergar umas às outras.

Trevas densas, que suprimiam todo tipo de luz, já que a Bíblia diz que os egípcios não saíam de seu lugar porque um não conseguia enxergar o outro. Era como se todos fossem capazes de enxergar as trevas espirituais que têm prevalecido sobre este mundo em toda a sua história.

As trevas que engolfaram o mundo e o homem a partir do Éden se manifestaram também, em outra ocasião, quando em pleno dia as trevas tomaram conta do mundo enquanto o Filho de Deus era crucificado. Não foi um eclipse de alguns minutos, mas três horas de trevas. Naquele momento Deus tratava com Jesus a questão de nossos pecados. Foi quando o Filho bradou: "Pai, por que me abandonaste?"

Ninguém viu o que Cristo passou na cruz naquelas três horas de trevas quando recebia o juízo de Deus pelos pecados de Suas criaturas. A luz não podia brilhar. O Filho de Deus, embora inocente, recebia sobre si toda a afronta dos homens contra Deus. Naquele momento Deus precisou deixá-Lo sozinho na cruz, por mim e por você.

Para aqueles que crêem, aquela foi a hora de sua libertação; a hora quando foram abertas as portas das masmorras onde o inimigo nos mantinha cativos. Para aqueles que não crêem, nada muda. As trevas permanecem, ainda que não possam vê-las ou senti-las, como não pode sentir o mergulhador sob toneladas de água pois está imerso nela.

Mas, assim como ocorreu naquele dia singular no Egito, os que hoje crêem têm luz.

Todas elas


O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. Filipenses 4:19


Enquanto o Pintor em minha janela pintava um Sol de um novo dia na janela da frente, descobri que pintava também um quadro na janela dos fundos. Nele a Lua se despedia da noite e se preparava para ir embora. Era muito sugestivo vê-la assim, indo embora, pela janela dos fundos.

O cristão é como a Lua, não tem luz própria. Para brilhar ela depende do Sol. Sem este, ela não passa de um corpo sem brilho, estéril, frio e silencioso, que expõe cicatrizes das agressões sofridas ao longo dos anos. Cada cratera, cada vale, cada destroço marca um acontecimento em sua vida. Você se sente assim?

Mas quando vemos sua face refletindo a luz do Sol, a Lua é bela, inigualável em seu vestido cor de prata a inspirar os corações. Só quando reflete o Sol. Por que nos esquecemos tão facilmente disto? Por que achamos que podemos encontrar luz e calor fora de Jesus?

Às vezes me sinto como uma criança desnutrida. Sei que preciso de vitaminas, mas quero encontrá-las no saco de salgadinhos e no refrigerante, não na salada, nas frutas e legumes. Quero que seja do meu jeito.

Mas Deus fala que é em Cristo Jesus que Ele suprirá todas as minhas necessidades. Todo o resto pode parecer alimento por um breve tempo, mas não dura. Alimentar-se de Cristo - é nEle que a vida daquele que nasceu de novo encontra a satisfação de suas necessidades. Não de uma ou duas, mas de todas elas.

Mais que profeta



HAVENDO Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.


Hoje o Pintor deixou um quadro estranho, um quadro de trevas. Nada pode ser visto de sua obra e o pouco que poderia ser percebido está distorcido pelo vidro canelado de minha janela, uma lente que borra qualquer imagem, de dia ou de noite.

Este é o tempo em que vivemos: de trevas e de distorção da luz. As manchetes trazem todos os dias notícias de protestos e mortes em razão da publicação de cartoons e charges de Maomé, tido como profeta pelos muçulmanos, cuja religião proíbe sua representação na forma de desenho e ainda de uma maneira desonrosa.

Qual a resposta do ocidente, daqueles que receberam uma herança judaico-cristã? Alguns jornais e revistas decidiram publicar novamente os cartoons, porém, para mostrar que desfrutam de liberdade de expressão, publicam também cartoons e charges de Jesus. É como se dissessem: "Vejam, nós não respeitamos nada nem ninguém! Estamos brincando também com o líder máximo da religião cristã!"

A ofensa causada aos muçulmanos incitou à ira mais de um bilhão de seguidores daquela religião em todo o planeta. As conseqüências são atos de violência praticados por homens. Que conseqüências terão as zombarias feitas contra Jesus, o Filho de Deus?

Não estou falando de passeatas, bombas ou atos de violência praticados por homens. Não creio que a cristandade reaja da mesma forma quando vê Jesus sendo objeto de zombaria, porque está acostumada com isso que é praticado há séculos. É certo que ninguém sairá em defesa dele de armas em punho. Poucos talvez o façam de forma muito tímida, porque a zombaria se tornou habitual.

Mas será que os que zombam de Jesus sabem de quem estão zombando? "O resplendor da sua (de Deus) glória, e a expressa imagem da sua (de Deus) pessoa".

Será que eles sabem?



Então disseram uns para os outros: Não fazemos bem; este dia é dia de boas novas, e nos calamos. 2 Reis 7:9


Tinha acabado de chover e o Pintor em minha janela surpreendeu-me com um quadro magnífico, de tão imensa e bela que era sua tela. Precisei fotografar em duas partes para unir tudo aquilo que não cabia em minha pequena câmera.

A lenda diz que no fim do arco-íris há um pote de ouro. Pois bem, ali eu tinha as duas pontas, dois potes de ouro! É verdade que a cena toda não durou mais que uns cinco minutos, mas enquanto estava ali, na minha janela, eu me lembrei de uma história da Bíblia.

A cidade de Samaria estava sitiada pelo exército de Ben-Hadade, rei da Síria. As provisões da cidade se acabaram e a fome era tanta que crianças tinham sido mortas pela própria mãe para serem comidas. Porém Deus avisara o profeta Eliseu de que iria livrar a cidade, e fez isto colocando tamanho pavor no exército inimigo que os soldados fugiram do acampamento largando tudo para trás.

Porém, apenas quatro leprosos, que viviam fora da cidade, expulsos por seus moradores e intocados pelo inimigo por causa da doença, foram os únicos que descobriram o que acontecera durante a noite. Descobriram que o acampamento inimigo estava vazio, porém com toneladas de alimento para quem quisesse pegar. Era a salvação da cidade, mas será que eles sabiam disso?

A história continua com os leprosos avisando a população que acaba sendo salva pela provisão inesperada. Exceto um assessor do rei, que não acreditou na notícia e morreu antes de poder provar do alimento gratuito. Incrédulo, ao ser avisado, respondeu:

"Eis que ainda que o Senhor fizesse janelas no céu poderia isso suceder?"

Ficou parado no portão da cidade e acabou atropelado e pisoteado pela multidão faminta que corria em busca do alimento.

Provavelmente nenhum dos moradores dos dois prédios onde acabava aquele arco-íris sabiam que estavam sendo protagonistas de um mais belos espetáculos da natureza. Provavelmente muitas pessoas ainda não sabem que Deus abriu uma janela no céu e enviou o verdadeiro pote de ouro da salvação — JESUS.

Felizmente alguns leprosos — na Bíblia uma figura de pecadores assumidos — já descobriram isso e outros já estão sabendo. Mas será que eles acreditam?

Precioso



E assim para vós, os que credes, é preciosa. 1 Pedro 2:7


Não são todos que se importam com o Pintor em minha janela ou valorizam sua obra. Muita gente não o conhece ou o ignora. Também, o que pensar de um mundo que um dia participou de uma votação democrática e escolheu Barrabás?

Para realmente dar valor àquilo que o Pintor faz a cada dia, a cada minuto, é preciso conhecê-lo. Mas não apenas como uma figura histórica, mas como o Amado que a noiva do livro de cantares descreve, quando indagada acerca dele:

Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, que tanto nos conjuras?

"O meu amado é branco e rosado; ele é o primeiro entre dez mil. A sua cabeça é como o ouro mais apurado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo. Os seus olhos são como os das pombas junto às correntes das águas, lavados em leite, postos em engaste. As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como flores perfumadas; os seus lábios são como lírios gotejando mirra com doce aroma. As suas mãos são como anéis de ouro engastados de berilo; o seu ventre como alvo marfim, coberto de safiras. As suas pernas como colunas de mármore colocadas sobre bases de ouro puro; o seu aspecto como o Líbano, excelente como os cedros. A sua boca é muitíssimo suave, sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém." Cantares 5:9-16

A descrição apresenta o Amado fazendo analogia às coisas mais belas, suaves e preciosas. Apenas a percepção que foi transformada pelo Pintor em minha janela pode realmente entender suas obras e apreciá-las. E, mais do que isso, apreciar o próprio artista. Então, os olhos são transportados da obra para seu autor e o valor maior é encontrado nele. E assim para vós, os que credes, ele é precioso.

Não temas


Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça... Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. Isaías 41:10; 2 Timóteo 1:7


Eram pouco mais de quatro horas da manhã quando vi que o Pintor em minha janela havia deixado um quadro ali. Minha câmera é um pouco mais do que uma webcam, portanto não podia esperar muito dela, principalmente para fotos no escuro. Mesmo assim ela flagrou o quadro do Pintor.

Não é assim que você se sente às vezes, como aquela pequena árvore solitária? Acho que solidão é um dos problemas de qualquer pessoa, principalmente por causa das preocupações que traz quando não se tem a quem recorrer. "E se eu adoecer?" "E se o dinheiro acabar?" "E se..."

Contei na www.bibliaonline.com.br e encontrei mais de sessenta vezes a expressão "não temas". Fiz então uma busca na versão em inglês da Bíblia para o verbo "to fear" e foram mais de 300 resultados. Não sei quem contou, mas li em algum lugar que "não temas", "não tenhas temor", "lança fora o temor" e expressões semelhantes ocorrem um total de 365 vezes na Bíblia. Dá uma para cada dia do ano.

É claro que isso pode variar de versão para versão, mas o certo é que Deus quis nos avisar de que Ele está no controle da vida daqueles que o temem, daqueles que sabem que nada — absolutamente nada — os separará do amor de Deus que está em Cristo Jesus.

Com Tua mão, segura bem a minha,
Pois eu tão fraco sou, ó Salvador!
Que não me atrevo a dar nem um só passo
Sem Teu amparo, meu Jesus Senhor!

Com Tua mão, segura bem a minha,
E, pelo mundo, alegre seguirei:
Mesmo onde as sombras caem mais escuras
Teu rosto vendo, nada temerei.

("Com Tua mão segura" - Harpa Cristã)

Pequenino detalhe


Quando meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me recolherá. Salmo 27:10


Eu abria a janela da lavanderia de meu apartamento, olhando para o céu e tentando ver outro quadro majestoso do Pintor em minha janela, quando algo chamou minha atenção.

Bem na beirada de mármore havia uma pequena aranha. Muito pequena, do tamanho do zero do teclado de seu celular. Precisei ampliar a foto. Estava atenta aos meus movimentos e me esperou enquanto eu fui buscar minha câmera. Vaidosa? Acho que não.

O que chamou minha atenção foi seu tamanho, quase imperceptível. Lembrei-me de que já fui assim, desse tamanho. Já fui uma vida pequenina assim — mas vida — assim como você. Pintado no útero de minha mãe pelo mesmo Pintor que pintou aquela aranhinha em minha janela. E cuida dela.

Os jornais têm trazido uma sucessão de casos de mães que abandonam ou matam seus pequeninos, preciosos camafeus do Pintor. Não fala nada dos pais, como aconteceu com a mulher, só ela, que foi levada a Jesus após "flagrante adultério". Se era flagrante deviam levar também o homem, mas não.

O que os jornais mostram não é um surto de rejeição, mas apenas a revelação do que acontece todos os dia, após o interesse da imprensa ter sido despertado por uma mãe que colocou sua filha em um saco de lixo e a jogou num lago.

Outras mães têm rejeitado seus filhos todos os dias em todo o mundo. Alguns não são muito maiores do que a aranhinha que o Pintor em minha janela pintou. Outros teriam até condições de viver e sobreviver, mas por diversos motivos foram descartados.

Será que precisava ser assim? Por que não esperar em Deus? Aquele que pinta todos os dias um novo amanhecer já mostrou do que é capaz mesmo para as menores de suas criaturas nos momentos mais difíceis.

Veja como o casal Bill e Glória Gaither se expressaram a respeito, no nascimento de seu filho em 1971:

"Embora a história tenha mostrado que este mundo nunca foi muito estável, (...) parece que o nosso século tem sido especialmente um tempo de crise (...). Nosso mundo é um planeta cheio de injustiças, de perda de confiança nas pessoas e instituições. Assassinatos, tráfico de drogas e guerra monopolizam as manchetes. Foi em meio a estas incertezas que a certeza do senhorio do Cristo vivo inundou nossas mentes perturbadas. Ao nascer nosso bebezinho, com toda a confiança em um Cristo, vivo e soberano, foi possível pegar nosso filhinho nos braços, e escrever:

Porque Ele vive, posso crer no amanhã;
Porque Ele vive, temor não há.
Mas, eu bem sei, sim, eu sei,
Que minha vida está nas mãos de meu Senhor,
Que vivo está!"

("Porque Ele Vive" - Glória S. Gaither e William J. Gaither)

Porque Ele vive!



Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando. Mateus 23:13


Não, você não precisa ficar procurando por uma pombinha nesta foto, como aquela que o Pintor em minha janela colocou em seu último quadro. Tirando uma pequena porção do céu sem nuvens, nada mais há da obra do Pintor na tela.

Mas havia. A construção de tijolos que você vê ao fundo é um templo religioso construído nos últimos meses. Antes eu podia ver a linha do horizonte, o prédio da Santa Casa e, em um plano anterior, um cipreste bem alto apontando para o céu. Hoje não posso mais.

Eu costumava olhar para aquele cipreste, com a Santa Casa ao fundo, e lembrar que foi daquele hospital que meu pai partiu para o céu em janeiro de 1998. Em minha memória cipreste funcionava como uma seta indicando onde agora ele está e eu um dia estarei.

Infelizmente uma construção — um templo religioso — já não permite que eu veja o cipreste que apontava para o céu. Você já reparou que boa parte da história deste mundo traz a marca da religião e de como em diversos momentos ela obstruiu o caminho das pessoas para o céu, cegando seus olhos? Assim foi no tempo do Senhor Jesus com os fariseus, os líderes religiosos de então.

Enquanto escrevo o mundo entra em convulsão por causa de pessoas que feriram os sentimentos religiosos de outras — publicando cartoons de Maomé — e são agora ameaçadas com uma explosão de violência que já custou a vida de muitos.

Pessoas ofendem e são ofendidas, atacam e revidam, matam e morrem pela religião. Que diferença das reações do único Homem perfeito que pisou este chão! Seu único acesso de ira não foi contra pecadores, ladrões ou prostitutas, mas... contra os religiosos!

Enquanto isso, em nosso país muitas religiões têm obstruído o céu da vista de seus seguidores para fazê-los priorizar dinheiro, poder, sucesso nos negócios, e tantas outras coisas passageiras. Como se a medida de prosperidade espiritual fosse uma conta bancária ou carros importados na garagem.

Mas, voltando ao quadro que hoje não vejo mais em minha janela, a lembrança que o cipreste trazia tem raízes mais profundas em minha memória. Em 1978, após minha conversão, ganhei um calendário em inglês que trazia a reprodução de uma belíssima pintura na qual aparecia a representação da tumba onde Jesus fora sepultado. A grande pedra que servia de porta tinha sido rolada para o lado e a tumba no barranco estava vazia.

Sobre ela, ciprestes apontavam para um céu azul com grandes nuvens iluminadas tomando dois terços da tela. E no céu, o editor do calendário acrescentou em letras grandes: "Ele Vive!". Gostei tanto da imagem que coloquei-a em uma moldura na parede do quarto. Todas as manhãs aqueles ciprestes apontando para o céu e deixando para trás uma tumba vazia me ajudavam a lembrar que Cristo ressuscitou.

Porque Cristo vive, meu pai, que se converteu na década de oitenta, também irá ressuscitar. Eu também. E você?

Uma pincelada singela


Mas, se em sua mão não houver recursos para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos. Levítico 12:8


"Onde está a obra do Pintor em sua janela", você deve estar perguntando hoje. Está ali, bem na área destacada. Hoje o quadro do Pintor é quase totalmente tomado pela obra humana — um prédio, um poste e fios de alta tensão. O poder da raça humana depende dessas engenhosidades.

Mas, bem no topo do poste por onde passam uns 9 mil volts há uma pequena pincelada do Pintor, uma pombinha, como aquelas que foram oferecidas no templo em Jerusalém por José e Maria, pais de Jesus.

Naquele tempo, quando um menino nascia os pais o apresentavam no templo no oitavo dia e ofereciam um cordeiro ou dois pombinhos, caso fossem pobres. José e Maria ofereceram os pombinhos. "Nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis" (2 Co 8:9).

O Senhor do Universo, o Criador e mantenedor de todas as coisas veio ao mundo na forma mais humilde, para que fôssemos ricos. Mas não ricos naquilo que irá passar junto com este mundo — os prédios, os postes e o poder da alta tensão —, mas co-herdeiros com Cristo das bênçãos reservadas nos céus.

Se você se sente como aquela pequena pombinha, frágil em meio à alta tensão desta vida, saiba que Jesus sabe o que é sentir-se assim. Aliás, só existe um lugar seguro naquele poste ali: bem ali, onde a pombinha está, delicadamente pincelada pelo Pintor que sabe onde colocar cada obra de sua criação.

Por um fio



Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade... antes que se rompa o cordão de prata... e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu. Eclesiastes 12:1-8

Hoje a tela que o Pintor em minha janela mostrou traz tons de prata. Como ele consegue transformar um sol de ouro em novelos de prata eu nem imagino. Mas ele tem lá a sua técnica e decidiu esconder o sol atrás de uma camada de densas nuvens para deixar que apenas alguns raios filtrassem a cor prata de sua paleta.

Há um cordão da mesma cor que nos une a este corpo, é o que ele diz em um de seus poemas. Sim, porque o Pintor é também poeta e autor do maior best-seller de todos os tempos. Ele diz que esse cordão irá se romper a qualquer momento — pode ser agora, pode ser amanhã, pode ser depois. Ninguém sabe a hora.

Quem mantém o fio é ele, nada mais. Quando falamos que a vida de alguém está por um fio, é bom lembrar que o mesmo acontece comigo e com você também. É bom estar por um fio?

Depende de onde está presa a outra ponta. Se estou certo de que meu espírito voltará para Deus como alguém que foi salvo por Cristo, não tenho de que me preocupar. A melhor parte de qualquer viagem por terreno acidentado é voltar para o lar.

Fracas pinceladas


Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. 1 Coríntios 1:25

Hoje o Pintor em minha janela parece decorar de propósito o topo de um prédio da vizinhança. A tela tem lá o seu encanto, mas fico imaginando o que o prédio escondeu daquilo que o Pintor pintou. Geralmente é o que acontece.

As grandes realizações humanas tentam competir com as grandes realizações de Deus, mas nada mais são do que o resultado de uma inteligência que Deus colocou no homem. Só isso? Não. Há também o orgulho, o desejo de deixar uma marca humana na criação, a pretensão de alcançar o céu.

Uma vez os homens construíram uma torre especificamente com este objetivo. "Edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome", disseram eles em Gênesis 11. A história de como suas pretensões vieram por água abaixo é contada no mesmo capítulo.

Poder e glória. É isso que o homem busca o tempo todo. Mas como as coisas de Deus são diferentes! O obscuro edifício de concreto sólido e resistente que se intromete na tela do Pintor não é páreo para a beleza das delicadas nuvens pinceladas apenas com vapor de água. É o singelo competindo com o bruto, a fraqueza vencendo a força.

O que você prefere ter, a fraqueza de Deus ou a força dos homens? Foi por conhecer a força que existe na fraqueza que Paulo escreveu: "Porque quando estou fraco então sou forte". 2 Coríntios 12:10

Vem! Vem! Vem!


Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã. Apocalipse 22:16


Gosto de madrugar, mas nunca consigo acordar antes do Pintor em minha janela. Ainda está escuro, vou olhar e ele já deixou um quadro seu lá para quem quiser ver. É a única galeria 24 horas que conheço!

Hoje ele pintou a estrela da manhã sobre o pano azul do céu noturno, sendo invadido lentamente pelo dourado do sol da manhã. Quem dormiu, não viu. Quem não acreditar, não verá a Estrela da Manhã.

Sabia que esta expressão aparece no último livro da Bíblia, o Apocalipse, e é usada pelo próprio Jesus? É porque é a estrela mais brilhante, que antecede o amanhecer. É assim que ele é esperado pelos que o conhecem. No mesmo capítulo ele fala três vezes de sua vinda: "Eis que presto venho... eis que cedo venho... certamente cedo venho" (Ap 22:7, 12, 20).

Se alguém enviasse uma carta a você dizendo três vezes que virá, o que você responderia? No mesmo capítulo, a resposta é repetida três vezes, de forma efusiva: "E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem... Ora vem, Senhor Jesus" (Ap 22:17, 20). E você, o que diz?

Fotogramas de um filme


E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28

Quando você diz, "a obra do pintor", não está se referindo a um único quadro. Está falando do conjunto, de tudo o que ele fez, faz e fará. A obra do pintor é tudo aquilo que faz dele um artista singular. O Pintor em minha janela é assim.

Veja apenas os 9 quadros que ele pintou em minha mesma janela e você pode ter uma idéia de sua criatividade. A janela é a mesma, o ângulo de minha câmera mudou apenas alguns graus, mas existe um quadro para cada gosto — ou para todos os gostos —, um para cada ocasião. Se eu visse um, não veria todos. Se vejo todos, não posso deixar de me maravilhar com um.

Assim é o Pintor em minha janela. Às vezes fico impaciente porque o quadro de hoje não é exatamente como eu esperava. Talvez esteja escuro demais, cinzento, sem definição. Quiçá o de amanhã seja por demais brilhante. Deveria eu julgar o Pintor apenas pelas partículas de sua obra? Deveria me impacientar com suas pinceladas momentâneas?

Cada quadro seu é apenas um fotograma de um filme com a extensão da eternidade. Olhar um é não ver o todo, a obra do Pintor. Uma vez li uma frase engraçada: "No fim tudo dá certo. Se ainda não deu certo é porque não chegou no fim."

Hoje posso me maravilhar ou ficar decepcionado com o quadro atual, mas quem disse que o Pintor em minha janela já guardou suas tintas? Acho que só vou entender realmente a obra do Pintor quando estiver na galeria onde poderei ver "todas as coisas". Então entenderei o conjunto, então darei razão ao Pintor, quando vir toda a sua obra.

Pintando nas brechas


O homem respondeu, e disse-lhes: Nisto, pois, está a maravilha, que vós não saibais de onde ele é, e contudo me abrisse os olhos. João 9:30


Um amigo deixou um comentário dizendo que este blog lembrou o poema de Cecília Meireles, "A arte de ser feliz". Fui lá ler e encontrei isso:

"Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim."

Só tenho que concordar, principalmente quando olho pela janela do quarto do fundo. Não dá para ver muita coisa lá, mas o Pintor continua pintando, infiltrando sua arte até entre os feios paredões que os homens fizeram. Lá está, só preciso olhar.

É impossível que você não consiga encontrar o pincel do Pintor onde quer que olhe. Por mais paredões que as circunstâncias construam ao nosso redor, ele continua pintando uma brecha, uma forma de escape. Ele tem o controle de tudo, até dos elementos que servem de tela para suas obras.

Da próxima vez que olhar pela janela de sua vida e enxergar um paredão, procure pela fresta onde o Pintor trabalha. Às vezes não é tão evidente, mas ele está lá, pintando uma senda para seu olhar ser elevado ao céu.

Uma característica do ser humano que o distingue dos quadrúpedes é poder olhar facilmente para o céu. Quadrúpedes só olham para a terra.

A paleta do pintor



E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores... Então tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue. Gn 37:3-31


Eu estava torcendo para ver a paleta onde o Pintor mistura suas cores e ontem ele mostrou. Todas as tintas estão lá e a foto mente. No real o quadro é muito mais bonito. Você conhece alguém que não se impressiona quando o Pintor derrama sua paleta no céu? Sabe quando ele fez isso a primeira vez?

Faz tempo. Depois de um dilúvio universal o Pintor colocou seu arco de cores no céu como sinal de aliança. Não iria destruir a terra com água, como fez uma vez. Mas parece que não adiantou. Não mudamos nada desde a raça antediluviana híbrida de homens e anjos. "Estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama". Gn 6:4

Acho que é isso que continuamos buscando. Valentia, fama, com algo de angelical. Mas vamos voltar ao Pintor em minha janela. Muito do que você vê não foi pintado assim. Eu e você, por exemplo. Apesar de todas as nossas cores, somos uma caricatura do que o Pintor pretende fazer com seu novo quadro de nós. Quer passar a limpo. Você está disposto a ser passado a limpo?

As gotículas de chuva na atmosfera revelam as cores da paleta do Pintor. Nada veríamos se não fosse por essas diminutas lentes que decompõem a luz. Mas é engraçado como corremos para a luz do sol e fugimos da luz do Pintor como insetos pegos de surpresa pela pedra que foi levantada. Não deveria ser assim, mas é.

Assim que vi as cores da paleta do Pintor, lembrei-me do que tinha lido dia desses sobre a túnica de José. Diz que era de muitas cores. Seriam tantas? Não sei, mas José é uma figura interessante para se conhecer a história. Filho de Jacó, codinome Israel, era invejado por seus irmãos, embora quisesse o melhor para eles.

Um dia ele passou poucas e boas nas mãos de seus irmãos, os quais foi procurar obedecendo a uma ordem de seu pai. Foi vendido por algumas moedas, dado por morto, lançado numa cova... não necessariamente nesta ordem.

Depois de um tempo numa masmorra no Egito, acabou salvando o país da fome, teve uma esposa gentia e se transformou no homem forte do Egito para, finalmente, salvar da morte seus atônitos irmãos.

A história lembra alguém? Lembra. Alguém cuja túnica de muitas cores tem sido causa de contradição nos últimos dois mil anos. Ele ainda irá voltar, mas sua túnica então chamará a atenção pela cor estranha que trará. Será sangue aquelas manchas?

Postagens populares